Nossos Parceiros

Você sabe o que está por trás de cada produto que você compra no seu dia a dia? Quem produziu e o impacto que essa sua compra está gerando? O ato de consumo é também um ato social.
Conheça e se apaixone por quem está por trás de cada objeto criado, através das mais diversas matérias-primas como tecido, madeira ou garrafas pet.

Nós do Ponto Chic

Em Nova Iguaçu/RJ no ano de 1995, nasceu o grupo Nós do Ponto Chic através de uma parceria com o comitê Elos da Cidadania dos funcionários do Banco do Brasil e amigos. Os moradores do bairro Ponto Chic aprenderam a usar malotes bancários como matéria-prima para suas produções. O designer Cocco Barçante cocriou com elas suas principais peças usando o insumo.

Menos 1 Lixo

Em janeiro de 2015 nascia o projeto Menos 1 Lixo, idealizado por Fernanda (Fe) Cortez, com o propósito de produzir menos lixo, a partir de atitudes de pessoas e empresas que, juntas, poderiam construir um mundo mais justo e sustentável. Na época, ela estabeleceu o desafio de difundir novos hábitos de consumo. Na verdade, consumir menos e de forma consciente. O movimento nasceu e cresceu e um dos produtos de grande destaque é o copo retrátil, que, sem dúvida, é um agente de transformação de comportamento. Ele permite que todos tenham a atenção voltada para tantos outros lixos que geramos diariamente.

Orgânica Moda Eco

Em 2007, a estilista Mana Malta lançou a sua própria marca a Orgânica Moda Eco, em Petrópolis. A ideia era desenvolver pesquisas em materiais têxteis com o menor impacto ambiental possível. Assim surgiu a Orgânica, uma marca criada por mulheres para mulheres e que valoriza artesãs e ONGs locais. O estilo é atemporal e as roupas são produzidas a partir da reutilização de fibras descartadas na natureza e com tingimento natural. A matéria-prima é renovável, não poluente e jamais há o descarte dos resíduos de tinta em afluentes. Uma moda que alia sustentabilidade e beleza.

Encauchados

São mais de 2.500 famílias da região amazônica envolvidas no projeto Encauchados de Vegetais da Amazônia, do Poloprobio. Uma linha diversificada de lindos produtos é produzida por essas pessoas, a partir da borracha natural.Os Encauchados, nome desta borracha, alia uma atividade tradicional ao conhecimento técnico-científico de vulcanização. Esta estratégia de produção vem possibilitando o manejo e a reativação dos seringais nativos da Amazônia. O projeto, que já tem 20 anos, consolidou-se como um empreendimento econômico solidário que gera trabalho, renda, empoderamento e inclusão socioeconômica. As pessoas vivem em harmonia com a natureza, a floresta continua em pé e o ambiente não sofre nenhuma agressão.

Fiz de Contas

O grupo Fiz de Contas existe desde 2006 e tem a especialidade de criar bijuterias e outros produtos artesanais feitos com reaproveitamento. As artesãs privilegiam a inclusão de recursos materiais a serem descartados, valorizam os saberes e técnicas de cada elemento do grupo. Buscam desenvolver novos conhecimentos e técnicas que os diferentes materiais inspiram. Em parceria com o grupo Bordando o Vale do Café criou uma linha com bordado nas peças.

Mulheres da Reserva Botânica

O grupo Mulheres da Reserva Botânica nasceu em 2009 com a proposta de reaproveitar resíduos agrícolas. Através de suas habilidades e conhecimentos genuinamente rurais, fabricam produtos ecológicos e socialmente corretos. Através de uma pesquisa da Kaapora Design em parceria com a Reserva Botânica das Águas Claras foi criado o VegPlac, lâmina fibrosa de palmito de pupunha, principal materia prima dos produtos do grupo.

Criando Arte

O grupo Criando Arte foi criado em 2006 por artesãs da Cidade de Deus no Rio de Janeiro. Elas utilizam técnicas de PET trançado para confeccionar produtos diferenciados. O grupo desenvolveu ainda mais seu talento nas oficinas de criação com a designer Mana Bernardes, criando uma linha de bijuterias de PET que é um sucesso.

Par

Em 2015, as irmãs Liz e Jéssica Unikowiski criaram o primeiro sapato que daria origem a marca PAR. A ideia era produzir um calçado inovador e que respeitasse o meio ambiente. Assim, começaram a criar sapatos atemporais, feitos a partir de uma mistura de algodão ecológico com fibras de PET reciclado, e sola de látex. Um dos diferenciais da marca é que os sapatos podem ser usados sem cadarços (opcionais), já que têm um elástico interno. A outra bossa fica por conta da embalagem. Os calçados vêm em bolsas, feitas de faixas e banners descartados, confeccionadas pelas artesãs do Cardume de Mães, apoiadas pela ONG Projeto Arrastão.

Africanize

O Africanize é um grupo de raízes africanas, como o próprio nome indica. As artesãs propõem o desenvolvimento de produtos de moda com estética afrobrasileira e concepção projetual em ecodesign. Junto com a designer Satsumi Murakami criaram uma linha que leva PET ou latinha de refrigerante em todos os objetos.